Sites Grátis no Comunidades.net Criar um Site Grátis Fantástico

TESTES - Termologia [90]
TESTES - Termologia [90]

 TERMOLOGIA / COM GABARITO

Professor David

ESCALAS TERMOMÉTRICAS

01) (ITA) O verão de 1994 foi particularmente quente nos Estados Unidos da América. A diferença entre a máxima temperatura do verão e a mínima do inverno anterior foi de 60ºC. Qual o valor dessa diferença na escala Fahrenheit?

a) 33ºF

b) 60ºF

c) 92ºF

d) 108ºF

e) 140ºF

 

02) (Unesp 2003) Uma panela com água é aquecida de 25°C para 80°C. A variação de temperatura sofrida pela panela com água, nas escalas Kelvin e Fahrenheit, foi de:

a) 32 K e 105°F.

b) 55 K e 99°F.

c) 57 K e 105°F.

d) 99 K e 105°F.

e) 105 K e 32°F.

 

03) (PUC-RS) No inverno gaúcho é comum a ocorrência de temperaturas entre:

a) 0 K e 10 K.

b) 0 ºF e 10 ºF.

c) 273 K e 283 K.

d) 86 ºF e 122 ºF.

e) 293 K e 373 K.

 

04) (FAFIPAR) Existem duas escalas termométricas que só admitem temperaturas positivas. São elas:

a) Celsius e Fahrenheit.

b) Fahrenheit e Kelvin.

c) Kelvin e Rankine.

d) Rankine e Reaumur.

e) Reaumur e Celsius.

 

05) (ITA) O verão de 1994 foi particularmente quente nos Estados Unidos da América. A diferença entre a máxima temperatura do verão e a mínima do inverno anterior foi de 60ºC. Qual o valor desta diferença na escala Fahrenheit?

a) 33ºF

b) 60ºF

c) 92ºF

d) 108ºF

e) 140ºF

 

06) (FIA-SP) Um termômetro foi graduado segundo uma escala arbitrária X, de tal forma que as temperaturas 10ºX e 80ºX correspondem a 0ºC e 100ºC, respectivamente. A temperatura em X que corresponde a 50ºC é:

a) 40ºX

b) 45ºX

c) 50ºX

d) 55ºX

e) 60ºX

 

07) (UF-Londrina) Uma escala termométrica E adota os valores –10ºE para o ponto de gelo e 240ºE para o ponto de vapor. Qual a indicação que na escala E corresponde a 30ºC?

a) 55ºE

b) 65ºE

c) 66ºE

d) 54ºE

e) 38ºE

 

08) (MACKENZIE) Um turista brasileiro sente-se mal durante a viagem e é levado inconsciente a um hospital. Após recuperar os sentidos, sem saber em que local estava, é informado de que a temperatura de seu corpo atingira 104 graus, mas que já “caíra” de 5,4 graus. Passado o susto, percebeu que a escala termométrica utilizada era a Fahrenheit. Desta forma, na escala Celsius, a queda de temperatura de seu corpo foi de:

a) 1,8ºC

b) 3,0ºC

c) 5,4ºC

d) 6,0ºC

e) 10,8ºC

 

09) (UNIBAN-SP) Ao utilizar um termômetro de mercúrio para medir a temperatura de uma pessoa, um médico percebeu que a escala do instrumento estava apagada entre os valores 36,5ºC  40ºC. Para saber a temperatura do paciente, o medico mediu o comprimento da escala do instrumento (de 35ºC a 45°C), encontrando 5,0cm. Em seguida mediu a altura da coluna de mercúrio correspondente à temperatura da pessoa, encontrando 1,5cm. Qual a temperatura determinada pelo médico?

a) 18ºC

b) 26ºC

c) 24ºC

d) 30ºC

e) 38ºC

 

10) A escala de temperatura Fahrenheit foi inventada pelo cientista alemão Daniel Gabriel Fahrenheit (1686 – 1736). Ele teria usado para 0°F a temperatura do dia mais frio de 1727, na Islândia, marcada por um amigo e para 100°F a temperatura do corpo da sua esposa, num determinado dia. Se isso é verdade, então:

a) no ano de 1727, na Islândia, a temperatura atingiu marcas inferiores a -20°C;

b) no ano de 1727, na Islândia, a temperatura não atingiu marcas inferiores a -10°C;

c) nesse dia, a sua esposa estava com febre;

d) nesse dia, a sua esposa estava com a temperatura inferior à normal (37°C);

e) é impossível, pois 100°F corresponde a uma temperatura superior à máxima possível para o ser humano.

 

11) (MACKENZIE) Ao nível do mar, mediante os termômetros, um graduado da escala Celsius e outro na escala Fahrenheit, determinamos a temperatura de certa massa de água líquida. A diferença entre as leituras dos dois termômetros é 100. A temperatura dessa massa de água na escala Kelvin é:

a) 85K

b) 108K

c) 273K

d) 358K

e) 438K

 

12) (FATEC – SP) Certo dia, um viajante verificou que a temperatura local acusava X°F. Se a escala utilizada tivesse sido a Celsius, a leitura seria 52 unidades mais baixa. Essa temperatura é:

a) agradável

b) 50°C

c) 84°C

d) 100°C

e) acima de 100°C

 

13) (MACKENZIE) O quíntuplo de uma certa indicação de temperatura registrada num termômetro graduado na escala Celsius excede em 6 unidades o dobro da correspondente indicação na escala Fahrenheit. Esta temperatura, medida na escala Kelvin, é de:

a) 50K

b) 223K

c) 273K

d) 300K

e) 323K

 

14) (Unifesp SP/1Fase) Quando se mede a temperatura do corpo humano com um termômetro clínico de mercúrio em vidro, procura-se colocar o bulbo do termômetro em contato direto com regiões mais próximas do interior do corpo e manter o termômetro assim durante algum tempo, antes de fazer a leitura.

Esses dois procedimentos são necessários porque:

a) o equilíbrio térmico só é possível quando há contato direto entre dois corpos e porque demanda sempre algum tempo para que a troca de calor entre o corpo humano e o termômetro se efetive.

b) é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que regula a temperatura interna do corpo, e porque demanda sempre algum tempo para que a troca de calor entre o corpo humano e o termômetro se efetive.

c) o equilíbrio térmico só é possível quando há contato direto entre dois corpos e porque é preciso evitar a interferência do calor específico médio do corpo humano.

d) é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que regula a temperatura interna do corpo, e porque o calor específico médio do corpo humano é muito menor que o do mercúrio e do vidro.

e) o equilíbrio térmico só é possível quando há contato direto entre dois corpos e porque é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que regula a temperatura interna do corpo.

 

15) (Fatec SP) Lord Kelvin (título de nobreza dado ao célebre físico William Thompson, 1824-1907) estabeleceu uma associação entre a energia de agitação das moléculas de um sistema e a sua temperatura.

Deduziu que a uma temperatura de -273,15 C, também chamada de zero absoluto, a agitação térmica das moléculas deveria cessar.

Considere um recipiente com gás, fechado e de variação de volume desprezível nas condições do problema e, por comodidade, que o zero absoluto corresponde a –273 C.

 

É correto afirmar:

a) O estado de agitação é o mesmo para as temperaturas de 100 C e 100 K.

b) À temperatura de 0 C o estado de agitação das moléculas é o mesmo que a 273 K.

c) As moléculas estão mais agitadas a –173oC do que a –127 C.

d) A -32 C as moléculas estão menos agitadas que a 241 K.

e) A 273 K as moléculas estão mais agitadas que a 100 C.

 

16) (Vunesp SP) Quando uma enfermeira coloca um termômetro clínico de mercúrio sob a língua de um paciente, por exemplo, ela sempre aguarda algum tempo antes de fazer a sua leitura. Esse intervalo de tempo é necessário.

a) para que o termômetro entre em equilíbrio térmico com o corpo do paciente.

b) para que o mercúrio, que é muito pesado, possa subir pelo tubo capilar.

c) para que o mercúrio passe pelo estrangulamento do tubo capilar.

d) devido à diferença entre os valores do calor específico do mercúrio e do corpo humano.

e) porque o coeficiente de dilatação do vidro é diferente do coeficiente de dilatação do mercúrio.

 

17) (Fuvest SP/1 Fase) O processo de pasteurização do leite consiste em aquece-lo a altas temperaturas por alguns segundos, e resfria-lo em seguida. Para isso, o leite percorre um sistema em fluxo constante, passando por três etapas:

I. O leite entre no sistema (através de A), a 5C sendo aquecido (no trocador de calor B) pelo leite que já foi pasteurizado e está saindo do sistema.

II. Em seguida, completa-se o aquecimento do leite, através da resistência R, até que ela atinja 80C. Com essa temperatura, o leite retorna a B.

III. Novamente em B, o leite quente é resfriado pelo leite frio que entra por A, saindo do sistema (através de C), a 20C.

 

Em condições de funcionamento estáveis, e supondo que o sistema seja bem isolado termicamente, pode-se afirmar que a temperatura indicada pelo termômetro T, que monitora temperatura do leite na saída de B, é aproximadamente de

a) 20C

b) 25C

c) 60C

d) 65C

e) 75C

 

18) (ITA SP) Para medir a febre de pacientes, um estudante de medicina criou sua própria escala linear de temperatura. Nessa nova escala, os valores de 0 (zero) a 10 (dez) correspondem respectivamente a 37C e 40C. A temperatura de mesmo valor numérico em ambas escalas é aproximadamente

a) 52,9C

b) 28,5C

c) 74,3C

d) –8,5C

e) –28,5C

 

19) (Unifesp SP/1Fase) O texto a seguir foi extraído de uma matéria sobre congelamento de cadáveres para sua preservação por muitos anos, publicada no jornal O Estado de S. Paulo de 21.07.2002.

Após a morte clínica, o corpo é resfriado com gelo. Uma injeção de anticoagulantes é aplicada e um fluido especial é bombeado para o coração, espalhando-se pelo corpo e empurrando para fora os fluidos naturais. O corpo é colocado numa câmara com gás nitrogênio, onde os fluidos endurecem em vez de congelar. Assim que atinge a temperatura de –321, o corpo é levado para um tanque de nitrogênio líquido, onde fica de cabeça para baixo.

Na matéria, não consta a unidade de temperatura usada.

Considerando que o valor indicado de –321 esteja correto e que pertença a uma das escalas, Kelvin, Celsius ou Fahrenheit, pode-se concluir que foi usada a escala:

a) Kelvin, pois trata-se de um trabalho científico e esta é a unidade adotada pelo Sistema Internacional.

b) Fahrenheit, por ser um valor inferior ao zero absoluto e, portanto, só pode ser medido nessa escala.

c) Fahrenheit, pois as escalas Celsius e Kelvin não admitem esse valor numérico de temperatura.

d) Celsius, pois só ela tem valores numéricos negativos para a indicação de temperaturas.

e) Celsius, por tratar-se de uma matéria publicada em língua portuguesa e essa ser a unidade adotada oficialmente no Brasil.

 

20) (UFAC AC) Uma variação de temperatura de 300K equivale na escala Fahrenheit à uma variação de:

a) 540 F

b) 54 F

c) 300 F

d) 2700 F

e) d.a

 

21) (FGV SP) Em relação à termometria, é certo dizer que:

a) – 273 K representa a menor temperatura possível de ser atingida por qualquer substância.

b) a quantidade de calor de uma substância equivale à sua temperatura.

c) em uma porta de madeira, a maçaneta metálica está sempre mais fria que a porta.

d) a escala Kelvin é conhecida como absoluta porque só admite valores positivos.

e) o estado físico de uma substância depende exclusivamente da temperatura em que ela se encontra.

 

22) (FATEC-SP) Lord Kelvin (título de nobreza dado ao célebre físico William Thompson, 1824-1907) estabeleceu uma associação entre a energia de agitação das moléculas de um sistema e a sua temperatura.

Deduziu que a uma temperatura de -273,15 ºC, também chamada de zero absoluto, a agitação térmica das moléculas deveria cessar. Considere um recipiente com gás, fechado e de variação de volume desprezível nas condições do problema e, por

 

comodidade, que o zero absoluto corresponde a –273 ºC.

É correto afirmar:

a) O estado de agitação é o mesmo para as temperaturas de 100 ºC e 100 K.

b) À temperatura de 0 ºC o estado de agitação das moléculas é o mesmo que a 273 K.

c) As moléculas estão mais agitadas a –173oC do que a –127 ºC.

d) A -32 ºC as moléculas estão menos agitadas que a 241 K.

e) A 273 K as moléculas estão mais agitadas que a 100 ºC.

 

23)  (UNIFESP-SP) O texto a seguir foi extraído de uma matéria sobre congelamento de cadáveres para sua preservação por muitos anos, publicada no jornal O Estado de S. Paulo de 21.07.2002.

 

Após a morte clínica, o corpo é resfriado com gelo. Uma injeção de anticoagulantes é aplicada e um fluido especial é bombeado para o coração, espalhando-se pelo corpo e empurrando para fora os fluidos naturais. O corpo é colocado numa câmara com gás nitrogênio, onde os fluidos endurecem em vez de congelar. Assim que atinge a temperatura de –321º, o corpo é levado para um tanque de nitrogênio líquido, onde fica de cabeça para baixo.

Na matéria, não consta a unidade de temperatura usada.

Considerando que o valor indicado de –321º esteja correto e que pertença a uma das escalas, Kelvin, Celsius ou Fahrenheit, pode-se concluir que foi usada a escala:

a) Kelvin, pois trata-se de um trabalho científico e esta é a unidade adotada pelo Sistema Internacional.

b) Fahrenheit, por ser um valor inferior ao zero absoluto e, portanto, só pode ser medido nessa escala.

c) Fahrenheit, pois as escalas Celsius e Kelvin não admitem esse valor numérico de temperatura.

d) Celsius, pois só ela tem valores numéricos negativos para a indicação de temperaturas.

e) Celsius, por tratar-se de uma matéria publicada em língua portuguesa e essa ser a unidade adotada oficialmente no Brasil.

 

24) (CEFET-MG) Em um determinado dia, a temperatura mínima em Belo Horizonte foi de 15 °C e a máxima de 27 °C.

 

A diferença entre essas temperaturas, na escala kelvin, é de

a) 12

b) 21

c) 263

d) 285

e) 24

 

25) (UNESP-SP) Um estudante desenvolve um termômetro para ser utilizado especificamente em seus trabalhos de laboratório.

Sua idéia é medir a temperatura de um meio fazendo a leitura da resistência elétrica de um resistor, um fio de cobre, por exemplo, quando em equilíbrio térmico com esse meio. Assim, para calibrar esse termômetro na escala Celsius, ele toma como referências as temperaturas de fusão do gelo e de ebulição da água. Depois de várias medidas, ele obtém a curva apresentada na figura.

A correspondência entre a temperatura T, em °C, e a resistência elétrica R, em Ω, é dada pela equação

a) T = 100.(R – 16) / 6,6.

b) T = 100.6,6 / (R – 16).

c) T = (R – 6,6) / (6,6.100).

d) T = 100.(R – 16) / 16.

e) T = 100.(R – 6,6) / 16.

 

26) (UNIFESP-SP) Quando se mede a temperatura do corpo humano com um termômetro clínico de mercúrio em vidro, procura-se colocar o bulbo do termômetro em contato direto com regiões mais

próximas do interior do corpo e manter o termômetro assim durante algum tempo, antes de fazer a leitura. Esses dois procedimentos são necessários porque:

a) o equilíbrio térmico só é possível quando há contato direto entre dois corpos e porque demanda sempre algum tempo para que a troca de calor entre o corpo humano e o termômetro se efetive.

b) é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que regula a temperatura interna do corpo, e porque demanda sempre algum tempo para que a troca de calor entre o corpo humano e o termômetro se efetive.

c) o equilíbrio térmico só é possível quando há contato direto entre dois corpos e porque é preciso evitar a interferência do calor específico médio do corpo humano.

d) é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que regula a temperatura interna do corpo, e porque o calor específico médio do corpo humano é muito menor que o do mercúrio e do vidro.

e) o equilíbrio térmico só é possível quando há contato direto entre dois corpos e porque é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que regula a temperatura interna do corpo.

 

27) (UNIUBE-MG)  Foram colocadas dois termômetros em determinada substância, a fim de medir =

 

sua temperatura. Um deles, calibrado na escala Celsius, apresenta um erro de calibração e acusa apenas 20% do valor real. O outro, graduado na escala Kelvin, marca 243 K. A leitura feita no termômetro Celsius é de

a) 30º

b) 6º

c) 0º

d) – 6º

e) – 30º

 

28) (FMTM-MG) A fim de diminuir o risco de explosão durante um incêndio, os botijões de gás possuem um pequeno pino com aspecto de parafuso, conhecido como plugue fusível. Uma vez que a temperatura do botijão chegue a 172ºF, a liga metálica desse

 

dispositivo de segurança se funde, permitindo que o gás escape. Em termos de nossa escala habitual, o derretimento do plugue fusível ocorre, aproximadamente, a

a) 69ºC.

b) 78ºC.

c) 85ºC.

d) 96ºC.

e) 101ºC.

 

29) (UNESP-SP)  Um termoscópio é um dispositivo experimental, como o mostrado na figura, capaz de indicar a temperatura a partir da variação da altura da coluna de um líquido que existe dentro dele. Um aluno verificou que, quando a temperatura na qual o termoscópio estava submetido era de 10oC, ele indicava uma altura de 5 mm. Percebeu ainda que, quando a altura havia aumentado para 25 mm, a temperatura era de 15oC.

 

Quando a temperatura for de 20oC, a altura da coluna de líquido, em mm, será de

a) 25

b) 30

c) 35

d) 40

e) 45

 

30) (PUC-PR) Dona Maria do Desespero tem um filho chamado Pedrinho, que apresentava os sintomas característicos da gripe causada pelo vírus H1N1: tosse, dor de garganta, dor nas articulações e suspeita de febre. Para saber a temperatura corporal do filho, pegou seu termômetro digital, entretanto, a pilha do termômetro tinha se esgotado.

 

Como segunda alternativa, resolveu utilizar o termômetro de mercúrio da vovó, porém, constatou que a escala do termômetro tinha se apagado com o tempo, sobrando apenas a temperatura mínima da escala 35oC e a temperatura máxima de 42oC.

Lembrou-se, então, de suas aulas de Termometria do Ensino Médio. Primeiro ela mediu a distância entre as temperaturas mínima e máxima e observou h = 10 cm. Em seguida, colocou o termômetro embaixo do braço do filho, esperou o equilíbrio térmico e, com uma régua, mediu a altura da coluna de mercúrio a partir da temperatura de 35oC, ao que encontrou h = 5 cm.

 

Com base no texto, assinale a alternativa CORRETA.

a) Pedrinho estava com febre, pois sua temperatura era de 38,5oC.

b) Pedrinho não estava com febre, pois sua temperatura era de 36,5oC.

c) Uma variação de 0,7oC corresponde a um deslocamento de 0,1 cm na coluna de mercúrio.

d) Se a altura da coluna de mercúrio fosse h = 2 cm a temperatura correspondente seria de 34oC.

e) Não é possível estabelecer uma relação entre a altura da coluna de mercúrio com a escala termométrica.

 

31) (CFT-MG)  O gráfico abaixo mostra como estão relacionadas as escalas termométricas Celsius e Fahrenheit.

No inverno, a temperatura, na cidade de Nova York, chega a atingir o valor de 10,4 ºF. Na escala Celsius, esse valor

corresponde a

a) – 12,0.

b) – 13,6.

c) – 38,9.

d) – 42,0.

 

32) (ETEC)  Lei o texto e responda a questão 32.

O lugar mais frio do mundo

Ainda existe um lugar na Terra, onde o homem jamais pisou. Ele se chama Ridge A (“cordilheira A”, em inglês), fica 4 mil metros de altitude – 30 % mais alto que a cidade de La Paz, na Bolívia – e está a 600 quilômetros do Polo Sul. Mas a principal característica desse lugar, que acaba de ser revelado por imagens de satélite, é outra: Ridge A é o ponto mais frio da

 

face da Terra, com temperatura média de 70 graus Celsius negativos. Até então, acreditava-se que o lugar mais frio do mundo fosse o lago Vostok, na Antártida, que chegou a registrar 90 graus Celsius negativos. Mas isso foi uma exceção. “ Na média, Ridge A é muito mais frio do que o lago Vostok ou qualquer outro lugar conhecido”, afirma Will Saunders, astrônomo da Universidade de New South Wales e descobridor do lugar.

Adaptado de: Revista Super Interessante. Edição 271, p. 32, Novembro 2009.

Diferentemente de nós, que usamos a escala de temperatura Celsius, os americanos utilizam a escala de temperatura Fahrenheit. Se esse texto fosse dirigido a estudantes americanos, como seria expressa a temperatura de – 70°C?

a) 0°F

b) – 60°F

c) – 55°F

d) – 40°F

e) – 94°F

 

33) (UNICAMP-SP) Em algumas extrações de ouro, sedimentos de fundo de rio e água são colocados em uma bateia,

recipiente cônico que se assemelha a um funil sem o buraco. Movimentos circulares da bateia permitem que o ouro metálico se deposite sob o material

sólido ali presente. Esse depósito, que contém principalmente ouro, é posto em contato com mercúrio metálico; o amálgama formado é separado e aquecido com um maçarico, separando-se o ouro líquido do mercúrio gasoso.

Numa região próxima dali, o mercúrio gasoso se transforma em líquido e acaba indo para o leito dos rios. Os três segmentos acima grifados se referem, respectivamente, às seguintes propriedades:

a) peso, temperatura de gaseificação e temperatura de liquefação.

b) densidade, temperatura de sublimação e temperatura de fusão.

c) peso, temperatura de ebulição e temperatura de fusão.

d) densidade, temperatura de ebulição e temperatura de liquefação.

 

34) (UNICAMP-SP) Em uma determinada região do planeta, a temperatura média anual subiu de 13,35 ºC em 1995 para 13,8 ºC em 2010.

 

Seguindo a tendência de aumento linear observada entre 1995 e 2010, a temperatura média em 2012 deverá  ser de

a) 13,83ºC

b) 13,86ºC

c) 13,92ºC

d) 13,89ºC

 

DILATAÇÃO TÉRMICA 

35) (UEL-PR) O coeficiente de dilatação linear do aço é 1,1 x 10-5 ºC-1. Os trilhos de uma via férrea têm 12m cada um na temperatura de 0ºC. Sabendo-se que a temperatura máxima na região onde se encontra a estrada é 40ºC, o espaçamento mínimo entre dois trilhos consecutivos deve ser, aproximadamente, de:

a) 0,40 cm

b) 0,44 cm

c) 0,46 cm

d) 0,48 cm

e) 0,53 cm

 

36) (MACKENZIE) Ao se aquecer de 1,0ºC uma haste metálica de 1,0m, o seu comprimento aumenta de 2,0 . 10-2mm. O aumento do comprimento de outra haste do mesmo metal, de medida inicial 80cm, quando a aquecemos de 20ºC, é:

a) 0,23mm

b) 0,32 mm

c) 0,56 mm

d) 0,65 mm

e) 0,76 mm

 

37) (UELON-PR) O volume de um bloco metálico sofre um aumento de 0,60% quando sua temperatura varia de 200ºC. O coeficiente de dilatação de dilatação linear médio desse metal, em ºC-1,vale:

a) 1,0.10-5

b) 3,0.10-5

c) 1,0.10-4

d) 3,0.10-4

e) 3,0.10-3

 

38) (UNIRIO) Um bloco de certo metal tem seu volume dilatado de 200cm3 para 206cm3, quanto sua temperatura aumenta de 20ºC para 520ºC. Se um fio deste mesmo metal, tendo 10cm de comprimento a 20ºC, for aquecido até a temperatura de 520ºC, então seu comprimento em centímetro passará a valer:

a) 10,1

b) 10,2

c) 10,3

d) 10,6

e) 11,2

 

39) (UDESC) Um recipiente para líquidos com capacidade para 120 litros, é completamente cheio a uma temperatura de 10°C. Esse recipiente é levado para um local onde a temperatura é de 30°C. Sendo o coeficiente de dilatação volumétrica do líquido igual a 1,2 x 10-3 (°C)-1, e considerando desprezível a variação de volume do recipiente, a quantidade de líquido derramado em litros é:

a) 0,024

b) 0,24

c) 2,88

d) 4,32

e) 5,76

 

40) (FEI) Um recipiente, cujo volume é de 1 000cm3, a 0°C, contém 980cm3 de um líquido à mesma temperatura. O conjunto é aquecido e, a partir de uma certa temperatura, o líquido começa a transbordar. Sabendo-se que o coeficiente de dilatação cúbica do recipiente vale 2,0 . 10-5 °C-1 e o do líquido vale 1,0 . 10-3 °C-1, pode-se afirmar que a temperatura no início do transbordamento do líquido é, aproximadamente:

a) 6,0°C

b) 12°C

c) 21°C

d) 78°C

e) 200°C

 

41) (MACKENZIE) A massa específica de um sólido é 10,00g . cm-3 a 100°C e 10,03g . cm-3 a 32ºF. O coeficiente de dilatação linear do sólido é igual a:

a) 5,0 . 10-6 °C-1

b) 10 . 10-6 °C-1

c) 15 . 10-6 °C-1

d) 20 . 10-6 °C-1

e) 30 . 10-6 °C-1

 

42) (ITA) Um bulbo de vidro cujo coeficiente de dilatação linear é 3 x 10-6 °C-1 está ligado a um capilar do mesmo material. À temperatura de -10,0°C a área da secção do capilar é 3,0 x 10-4cm2 e todo o mercúrio, cujo coeficiente de dilatação volumétrico é 180 x 10-6 °C-1, ocupa o volume total do bulbo, que a esta temperatura é 0,500cm3. O comprimento da coluna de mercúrio a 90,0°C será:

a) 270mm

b) 257mm

c) 285mm

d) 300mm

e) 540mm

 

43) (UNIRIO) Um industrial propôs construir termômetros comuns de vidro, para medir temperaturas ambientes entre 1°C e 40°C, substituindo o mercúrio por água destilada. Cristóvão, um físico, se opôs, justificando que as leituras no termômetro não seriam confiáveis, porque:

a) a perda de calor por radiação é grande;

b) o coeficiente de dilatação da água é constante no intervalo de 0°C a 100°C;

c) o coeficiente de dilatação da água entre 0°C e 4°C é negativo;

d) o calor específico do vidro é maior que o da água;

e) há necessidade de um tubo capilar de altura aproximadamente 13 vezes maior do que o exigido pelo mercúrio.

 

44) (UPE) Uma barra de coeficiente de dilatação α = 5π x 10-4ºC-1, comprimento 2,0 m e temperatura inicial de 25 ºC está presa a uma parede por meio de um suporte de fixação S. A outra extremidade da barra B está posicionada no topo de um disco de raio R = 30 cm. Quando aumentamos lentamente a temperatura da barra até um valor final T, verificamos que o disco sofre um deslocamento angular Δθ = 30º no processo. Observe a figura a seguir:

 

Supondo que o disco rola sem deslizar e desprezando os efeitos da temperatura sobre o suporte S e também sobre o disco, calcule o valor de T.

a) 50 °C

b) 75 °C

c) 125 °C

d) 300 °C

e) 325 °C

 

45) (PUC-RJ) Uma porca está muito apertada no parafuso. O que você deve fazer para afrouxá-la?

a) É indiferente esfriar ou esquentar a porca.

b) Esfriar a porca.

c) Esquentar a porca.

d) É indiferente esfriar ou esquentar o parafuso.

e) Esquentar o parafuso.

 

46) (Fuvest) Para ilustrar a dilatação dos corpos, um grupo de estudantes apresenta, em uma feira de ciências, o instrumento esquematizado na figura abaixo. Nessa montagem, uma barra de alumínio com 30 cm de comprimento está apoiada sobre dois suportes, tendo uma extremidade presa ao ponto inferior do ponteiro indicador e a outra encostada num anteparo fixo. O ponteiro pode girar livremente em torno do ponto O, sendo que o comprimento de sua parte superior é 10 cm e, o da inferior, 2 cm. Se a barra de alumínio, inicialmente à temperatura de 25ºC, for aquecida a 225ºC, o deslocamento da extremidade superior do ponteiro será, aproximadamente, de

 

Use: O coeficiente de dilatação linear da barra é de 2 . 10–5 °C-1

a) 1 mm

b) 3 mm

c) 6mm

d) 12mm

e) 30mm

 

47) (Unimep-SP) Quando um frasco completamente cheio de líquido é aquecido, verifica-se um certo volume de líquido transbordado. Esse volume mede:

a) a dilatação absoluta do líquido menos a do frasco

b) a dilatação do frasco

c) a dilatação absoluta do líquido

d) a dilatação aparente do frasco

e) a dilatação do frasco mais a do líquido

 

48) (U. Mackenzie–SP) Quando um recipiente totalmente preenchido com um líquido é aquecido, a parte que transborda representa sua dilatação __________ . A dilatação __________ do líquido é dada pela __________ da dilatação do frasco e da dilatação __________ . Com relação à dilatação dos líquidos, assinale a alternativa que, ordenadamente, preenche de modo correto as lacunas do texto acima.

a) aparente — real — soma — aparente

b) real — aparente — soma — real

c) aparente — real — diferença — aparente

d) real — aparente — diferença — aparente

e) aparente — real — diferença — real

 

49) (ENEM) A gasolina é vendida por litro, mas em sua utilização como combustível, a massa é o que importa. Um aumento da temperatura do ambiente leva a um aumento no volume da gasolina. Para diminuir os efeitos práticos dessa variação, os tanques dos postos de gasolina são subterrâneos. Se os tanques não fossem subterrâneos:

I. Você levaria vantagem ao abastecer o carro na hora mais quente do dia pois estaria comprando mais massa por litro de combustível.

II. Abastecendo com a temperatura mais baixa, você estaria comprando mais massa de combustível para cada litro.

III. Se a gasolina fosse vendida por kg em vez de por litro, o problema comercial decorrente da dilatação da gasolina estaria resolvido.

 

Destas considerações, somente:

a) I é correta.

b) II é correta.

c) III é correta.

d) I e II são corretas.

e) II e III são corretas.

 

50) (UFTM) Uma garrafa aberta está quase cheia de um determinado líquido. Sabe-se que se esse líquido sofrer uma dilatação térmica correspondente a 3% de seu volume inicial, a garrafa ficará completamente cheia, sem que tenha havido transbordamento do líquido.

 

Desconsiderando a dilatação térmica da garrafa e a vaporização do líquido, e sabendo que o coeficiente de dilatação volumétrica do líquido é igual a 6.10-4 ºC-1, a maior variação de temperatura, em ºC, que o líquido pode sofrer, sem que haja transbordamento, é igual a

a) 35.

b) 45.

c) 50.

d) 30.

e) 40.

 

51) (cftmg 2016)  Para verificar se uma pessoa está febril, pode-se usar um termômetro clínico de uso doméstico que consiste em um líquido como o mercúrio colocado dentro de um tubo de vidro graduado, fechado em uma das extremidades e com uma escala indicando os valores de temperatura. Em seguida, coloca-se o termômetro debaixo da axila e aguardam-se alguns minutos para fazer a leitura.

As afirmativas a seguir referem-se ao funcionamento do termômetro.

I. A temperatura marcada no termômetro coincidirá com a temperatura de ebulição do mercúrio do dispositivo.

II. A temperatura marcada na escala do termômetro está relacionada com a dilatação térmica do mercúrio.

III. O tempo de espera citado acima refere-se ao tempo necessário para que se atinja o equilíbrio térmico entre o paciente e o termômetro.

IV. Se a substância do mesmo termômetro for trocada por álcool, a temperatura indicada será a mesma.

 

As afirmativas corretas são

a) I e II.

b) I e IV.

c) II e III.

d) III e IV.

 

52) (ifsul 2016)  Analise cada uma das afirmativas abaixo, indicando, nos parênteses, se é verdadeira ou falsa, de acordo com o estudo da Calorimetria.

(     ) A temperatura de 104oF corresponde a 40oC.

(     ) A dilatação real de um líquido, quando aquecido, representa a dilatação do frasco mais a dilatação aparente do líquido.

(     ) A transmissão de calor por convecção promove o movimento das camadas de um líquido ou de ar, sendo que as camadas frias sobem e as camadas quentes descem, devido à diferença de densidade entre elas.

(     ) A mudança de fase ocorre sempre que, sob pressão constante, uma substância pura receba ou ceda calor, sem que ocorra variação de temperatura.

(     ) A dilatação de uma certa massa de gás perfeito, que sofre uma transformação isobárica, faz com que um aumento de temperatura sobre esse gás provoque um aumento em seu volume.

 

A sequência correta, de cima para baixo, é

a) V - V - F - F - V.

b) V - V - F - V - V.

c) V - F - F - V - V.

d) V - F - V - F - V.

 

53) (cps 2014)  Quem viaja de carro ou de ônibus pode ver, ao longo das estradas, torres de transmissão de energia tais como as da figura.

Olhando mais atentamente, é possível notar que os cabos são colocados arqueados ou, como se diz popularmente, “fazendo barriga”.

A razão dessa disposição é quea) a densidade dos cabos tende a diminuir com o passar dos anos.

b) a condução da eletricidade em alta tensão é facilitada desse modo.

c) o metal usado na fabricação dos cabos é impossível de ser esticado.

d) os cabos, em dias mais frios, podem encolher sem derrubar as torres.

e) os ventos fortes não são capazes de fazer os cabos, assim dispostos, balançarem.

 

54)  (Epcar)  No gráfico a seguir, está representado o comprimento L de duas barras A e B em função da temperatura θ.

Sabendo-se que as retas que representam os comprimentos da barra A e da barra B são paralelas, pode-se afirmar que a razão entre o coeficiente de dilatação linear da barra A e o da barra B é

a) 0,25.

b) 0,50.

c) 1,00.

d) 2,00.

 

55) (Fuvest 2014)  Uma lâmina bimetálica de bronze e ferro, na temperatura ambiente, é fixada por uma de suas extremidades, como visto na figura abaixo.

 

Nessa situação, a lâmina está plana e horizontal. A seguir, ela é aquecida por uma chama de gás. Após algum tempo de aquecimento, a forma assumida pela lâmina será mais adequadamente representada pela figura:

Adote: o coeficiente de dilatação térmica linear do ferro é 1,2 x 10-5 °C-1. O coeficiente de dilatação térmica linear do bronze é 1,8 x 10-5 °C-1

Após o aquecimento, a temperatura da lâmina é uniforme.

 

 

MUDANÇA DE FASE

56) (UCDB-MS) Uma substância sólida é aquecida continuamente. O gráfico a seguir mostra a variação da temperatura (ordenada) com o tempo (abscissa):

 

O ponto de fusão, o ponto de ebulição e o tempo durante o qual a substância permanece no estado líquido são, respectivamente:

a) 150, 65 e 5

b) 65, 150 e 25

c) 150, 65 e 25

d) 65, 150 e 5

e) 65, 150 e 10

 

57) (UFPA) Dado o diagrama de aquecimento de um material:

 

A alternativa correta é:

a) o diagrama representa o resfriamento de uma substância pura.

b) a temperatura no tempo zero representa o aquecimento de um líquido.

c) 210°C é a temperatura de fusão do material.

d) a transformação de X para Y é um fenômeno químico.

e) 80°C é a temperatura de fusão do material.

 

58) (UFSM) Quando se está ao nível do mar, observa-se que a água ferve a uma temperatura de 100 °C. Subindo uma montanha de 1 000 m de altitude, observa-se que:

a) a água ferve numa temperatura maior, pois seu calor específico aumenta.

b) a água ferve numa temperatura maior, pois a pressão atmosférica é maior.

c) a água ferve numa temperatura menor, pois a pressão atmosférica é menor.

d) a água ferve na mesma temperatura de 100 °C, independente da pressão atmosférica.

e) a água não consegue ferver nessa altitude.

 

59) (MED. POUSO ALEGRE - MG) Observe os seguintes fatos:

I - Uma pedra de naftalina deixada no armário.

II - Uma vasilha com água deixada no freezer.

III - Uma vasilha com água deixada no fogo.

IV - O derretimento de um pedaço de chumbo quando aquecido.

 

Nesses fatos, estão relacionados corretamente os seguintes fenômenos:

a) I. sublimação, II. solidificação, III. evaporação, IV. fusão;

b) I. sublimação, II. solidificação, III. fusão, IV. evaporação;

c) I. fusão, II. sublimação, III. evaporação, IV. solidificação;

d) I. evaporação, II. solidificação, III. fusão, IV. sublimação;

e) I. evaporação, II. sublimação, III. fusão, IV. solidificação.

 

60) (UFMG) Uma indústria química comprou certa quantidade de plástico de um fabricante, antes de ser usado, colhe-se uma amostra e submete-se a mesma a uma série de testes para verificações. Um desses testes Consiste em colocar uma fração da amostra num equipamento e aquecê-la até o plástico derreter. A fração sofreu:

a) sublimação

b) solidificação

c) ebulição

d) condensação

e) fusão

 

61) (FAAP-SP) No texto: “Um escultor recebe um  bloco retangular de mármore e, habilmente, o transforma na estátua de uma celebridade do cinema”, podemos identificar matéria, corpo e objeto e, a partir daí, definir esses três conceitos.

I. Matéria (mármore): tudo aquilo que tem massa e ocupa lugar no espaço.

II. Corpo (bloco retangular de mármore): porção limitada de matéria que, por sua forma especial, se presta a um determinado uso.

III. Objeto (estátua de mármore): porção limitada de matéria.

 

Assinale a alternativa correta:

a) se somente a afirmativa I é correta.

b) se somente a afirmativa II é correta.

c) se somente a afirmativa III é correta.

d) se somente as afirmativas I e II são corretas.

e) se as afirmativas I, II e III são corretas

 

62) (UFC-CE) Dentre as opções abaixo, marque a que apresenta fortes indícios de que a amostra nela descrita é um elemento.

a) Um sólido azul que é separado em dois por método físico.

b) Um líquido preto que apresenta faixa de temperatura durante a ebulição.

c) Um líquido incolor que se transforma em sólido incolor por resfriamento.

d) Um sólido branco que, por aquecimento, se torna amarelo e, depois, novamente branco, ao resfriar.

e) Um sólido preto que queima completamente em oxigênio, produzindo um único gás incolor.

 

63) (UFV-MG) A naftalina, nome comercial do hidrocarboneto naftaleno, é utilizada em gavetas e armários para proteger tecidos, papéis e livros do ataque de traças e outros insetos. Assim como outros compostos, a naftalina tem a propriedade de passar do estado sólido para o gasoso sem fundir-se. Esse fenômeno é chamado de:

a) liquefação.

b) sublimação.

c) combustão.

d) ebulição.

e) solidificação.

 

64) (UFMG-MG) Algumas propriedades físicas são características do conjunto das moléculas de uma substância, enquanto outras são atributos intrínsecos a moléculas individuais. Assim sendo, é CORRETO afirmar que uma propriedade intrínseca de uma molécula de água é a:

a) densidade.

b) polaridade.

c) pressão de vapor.

d) temperatura de ebulição.

 

65) (UFAL-AL) Uma pessoa comprou um frasco de álcool anidro. Para se certificar de que o conteúdo do frasco não foi fraudado com a adição de água, basta que ela determine, com exatidão,

I. a densidade

II. o volume

III. a temperatura de ebulição

IV. a massa

Dessas afirmações, são corretas SOMENTE

a) I e II

b) I e III

c) I e IV

d) II e III

e) III e IV

 

66) (UECE-CE) Considere as afirmativas:

I.Como os CFC (clorofluorocarbonos) destroem a camada de ozônio que protege a Terra dos raios ultravioletas, eles estão sendo substituídos por outros gases, como o butano, por exemplo. O que diferencia os gases CFC do gás butano neste aspecto é uma propriedade química.

II. Matéria e energia são interconversíveis.

III. Três frascos de vidro transparente, fechados e exatamente iguais, contêm cada um a mesma massa de diferentes líquidos. Um contém água (d = 1,00g/mL), o outro, clorofórmio (d = 1,4g/mL) e o terceiro, álcool etílico (d= 0,8g/mL). O frasco que contém menor volume de líquido é o do álcool etílico.

IV. São propriedades gerais da matéria: massa, extensão, compressibilidade, elasticidade e acidez.

V. A medida da massa de um corpo não varia em função da sua posição geográfica na Terra.

 

Das afirmativas acima são verdadeiras somente:

a) I, II, III e IV

b) I, II, III e V

c) II, III e V

d) I, II e V

 

67) (UTFPR-PR) Em uma noite de inverno rigoroso uma dona de casa estendeu as roupas recém lavadas no varal, expostas ao tempo. Pela manhã as roupas congelaram, em função do frio intenso. Com a elevação da temperatura no decorrer da manhã, começou a pingar água das roupas, em seguida elas ficaram apenas úmidas, e elas logo estavam secas. Ocorreram nestas roupas, respectivamente, as seguintes passagens de estados físicos:

a) solidificação, evaporação e fusão.

b) solidificação, fusão e evaporação.

c) fusão, solidificação e evaporação.

d) fusão, evaporação e solidificação.

e) evaporação, solidificação e fusão

 

68) (FATEC-SP) Duas amostras de naftalina, uma de 20,0 g (amostra A) e outra de 40,0 g (amostra B), foram colocadas em tubos de ensaio separados, para serem submetidas à fusão. Ambas as amostras foram aquecidas por uma mesma fonte de calor. No decorrer do aquecimento de cada uma delas, as temperaturas foram anotadas de 30 em 30 segundos.

Um estudante, considerando tal procedimento, fez as seguintes previsões:

I. A fusão da amostra A deve ocorrer a temperatura mais baixa do que a da amostra B.

II. A temperatura de fusão da amostra B deve ser o dobro da temperatura de fusão da amostra A.

III. A amostra A alcançará a temperatura de fusão num tempo menor que a amostra B.

IV. Ambas as amostras devem entrar em fusão à mesma temperatura.

 

É correto o que se afirma apenas em:

a) I.

b) II.

c) III.

d) II e III.

e) III e IV 

 

TRANSFORMAÇÃO GASOSA

69) (OSEC-SP) Um carro-tanque transportou gás cloro para uma estação de tratamento de água. Sabe-se que o volume do tanque que continha gás cloro era de 30 m3, que a temperatura era mantida a 20oC para a pressão ser de 2 atm e que, na estação de tratamento de água, esse cloro foi transferido para um reservatório de 50 m3 mantido a 293 K. Ao passar do carro-tanque para o reservatório, o gás sofreu uma transformação........e a pressão do reservatório era..............

As lacunas são completamente preenchidas, respectivamente, com os dados:

a) isotérmica, 1,2 atm.

b) isométrica, 117 atm.

c) isobárica, 2 atm.

d) isocórica, 2 atm.

e) isovolumétrica, 1,2 atm.

 

70) (INTEGRADO-RJ) O gráfico abaixo representa um processo cíclico (ciclo) a que é submetido um gás ideal:

 

Analise-o. A opção em que aparece a correspondência das etapas numeradas (1 → 2 → 3 e 3 → 1), com suas respectivas denominações, é:

a) Isobárica, Adiabática e Isotérmica;

b) Isovolumétrica, Isobárica e Isotérmica;

c) Isovolumétrica, Isotérmica e Isobárica;

d) Isotérmica, Isobárica e Isovolumétrica;

e) Isovolumétrica, Isobárica e Adiabática.

 

71) (Uneb-BA) Em condições tais que um gás se comporta como ideal, as variáveis de estado assumem os valores 300 K, 2,0 m3 e 4,0 x 10 4 Pa, num estado A. Sofrendo certa transformação, o sistema chega ao estado B, em que os valores são 450 K, 3,0 m3 e p. O valor de p, em Pa, é:

a) 1,3 x 104

b) 2,7 x 104

c) 4,0 x 104

d) 6,0 x 104

e) 1,2 x 105

 

72) O gráfico abaixo mostra a isoterma de uma quantidade de gás que é levado de um estado 1 para um estado 2. O volume do estado 2, em litros, é:

 

a) 2 L

b) 4,5 L

c) 6 L

d) 4 L

e) 3 L

 

73) (UEBA-BA) Um balão-propaganda cheio de gás hélio, ao nível do mar, ocupa um volume de 250 L.

 

Observação: admitindo-se que a temperatura tenha se mantido constante.

Seu volume após lançamento, numa altitude de 3000 m será:

a) menor, pois a pressão externa aumenta com a altitude.

b) maior, pois a pressão externa diminui com a altitude.

c) permanecerá constante, pois a pressão não varia com a altitude.

d) permanecerá constante, pois a temperatura se manteve constante.

e) maior, pois a pressão externa aumenta com a altitude.

 

74) (PUC-BA) Duas amostras de igual massa de um mesmo gás foram submetidas ao seguinte teste, à temperatura constante:

 

os dados obtidos para a pressão e volume das amostras comprovam a lei de:

a) Boyle

b) Gay-Lussac

c) Avogadro

d) Proust

e) Lavoisier

 

75) (PUC-MG) A figura ao lado representa um gás contido em um cilindro cuja parte superior é vedada por um êmbolo que pode deslizar, sem atrito, para cima e para baixo, ao longo das paredes do cilindro.

 

Sobre o êmbolo está um objeto de massa constante. Se esse sistema for aquecido lentamente, a transformação a que ele será submetido é:

a) adiabática

b) isobárica

c) isotérmica

d) isocórica

e) isostática

 

76) (UFAC-AC)  Considere o gráfico a seguir:

 

O gráfico acima representa um comportamento típico de um gás submetido à lei de Boyle – Mariotte (P.V=K). Com relação à curva, pode-se afirmar que:

a) É uma isocórica e o valor de K é igual a 2,0

b) É uma isoterma e o valor de K é igual a 12,0

c) É uma isocórica e o valor de K é igual a 12,0

d) É uma isoterma e o valor de K é igual a 2,0

e) É uma isobárica e o valor de K é igual a 2,0

 

77) (CESGRANRIO-RJ) Você brincou de encher, com ar, um balão de gás, na beira da praia, até um volume de 1 L e o fechou.

 

Em seguida, subiu uma encosta próxima carregando o balão, até uma altitude de 900m, onde a pressão atmosférica é 10% menor que a pressão ao nível do mar. Considerando que a temperatura na praia e na encosta seja mesma, o volume de ar no balão após a subida, será de:

a) 0,8 l

b) 0,9 L

c) 1,0 L

d) 1,1 L

e) 1,2 L

 

78) (PUC-MG) Um balão de aniversário, cheio de gás Hélio, solta-se da mão de uma criança, subindo até grandes altitudes.

 

Durante a subida, é CORRETO afirmar:

a) O volume do balão diminui.

b) A pressão do gás no interior do balão aumenta.

c) O volume do balão aumenta.

d) O volume do balão permanece constante.

 

79) (FMTM-MG) Nas lições iniciais de um curso de mergulho com equipamento autônomo –

 

cilindro de ar comprimido – os alunos são instruídos a voltarem lentamente à superfície, sem prender sua respiração em hipótese alguma, a fim de permitir que ocorra a gradativa descompressão. O aprisionamento do ar nos pulmões pode ser fatal para o mergulhador durante a subida, pois, nesse caso, a transformação sofrida pelo ar nos pulmões é

a) isobárica, com redução do volume do ar.

b) isobárica, com aumento da temperatura do ar.

c) isotérmica, com aumento da pressão do ar.

d) isotérmica, com aumento do volume do ar.

e) isovolumétrica, com diminuição da pressão do ar

 

80) (UNIFENAS-MG) Um mol de um gás ideal é submetido a uma transformação de estado cíclico, como mostra o gráfico a seguir:

 

Pode-se afirmar que as transformações A, B e C, são, respectivamente:

a) isovolumétrica, isotérmica, isovolumétrica

b) isobárica, isotérmica, isovolumétrica

c) isovolumétrica, isotérmica, isobárica

d) isotérmica, isobárica, isovolumétrica

e) isovolumétrica, isobárica, isotérmica

 

81) (FUVEST-SP) Uma bola de futebol impermeável e murcha é colocada sob uma campânula, num ambiente hermeticamente

 

fechado. A seguir, extrai-se lentamente o ar da campânula até que a bola acabe por readquirir sua forma esférica. Ao longo do processo, a temperatura é mantida constante. Ao final do processo, tratando-se o ar como um gás perfeito, podemos afirmar que:

a) a pressão do ar dentro da bola diminuiu.

b) a pressão do ar dentro da bola aumentou.

c) a pressão do ar dentro da bola não mudou.

d) a densidade do ar dentro da bola aumentou.

 

82) (UFA-MG) Nos manuais de automóveis, na seção que trata da calibragem dos pneus, junto à pressão recomendada, encontramos a seguinte instrução: “os pneus devem ser calibrados enquanto frios”. Qual o motivo da recomendação?

a) Se calibrarmos os pneus quentes com a pressão recomendada, ao esfriarem a pressão cairá a valores mais

baixos que o recomendado.

b) Se calibrarmos os pneus quentes com ar à temperatura ambiente, podemos provocar rachaduras nas rodas.

c) Se calibrarmos os pneus ainda quentes, podemos levar a vazamentos de ar, porque a borracha estará dilatada.

d) Se calibrarmos os pneus quentes com a pressão recomendada, quando os pneus esfriarem a pressão ficará muito

acima da recomendada, por causa da contração da borracha.

e) Se calibrarmos os pneus a frio, gastaremos menos ar para enchê-los.

 

83) (UFPB-PB) Antes de iniciar uma viagem, um motorista cuidadoso calibra os pneus de seu carro, que estão à temperatura

 

ambiente de 27°C, com uma pressão de 30 lb/pol2. Ao final da viagem, para determinar a temperatura dos pneus, o motorista mede a pressão dos mesmos e descobre que esta aumentou para 32 lb/pol2. Se o volume dos pneus permanece inalterado e se o gás no interior é ideal, o motorista determinou a temperatura dos pneus como sendo:

a) 17ºC

b) 27ºC

c) 37ºC

d) 47ºC

e) 57ºC

 

84) (FUVEST) O gasômetro G, utilizado para o armazenamento de ar, é um recipiente cilíndrico, metálico, com paredes laterais de pequena espessura. G é fechado na sua parte superior, aberto na inferior que permanece imersa em água e pode se mover na direção vertical. G contém ar, inicialmente à temperatura de 300K e o nível da água no seu interior se encontra 2,0m abaixo do nível externo da água. Nessas condições, a tampa de G está 9,0m acima do nível externo da água como mostra a figura a seguir.

 

Aquecendo-se o gás, o sistema se estabiliza numa nova altura de equilíbrio, com a tampa superior a uma altura H, em relação ao nível externo da água, e com a temperatura do gás a 360K. Supondo que o ar se comporte como um gás ideal, a nova altura H será, aproximadamente, igual a:

a) 8,8m

b) 9,0m

c) 10,8m

d) 11,2m

e) 13,2m

 

85)  (Inatel-MG) Um recipiente cilíndrico tem seu volume V dividido em duas partes por uma membrana rígida.

 

Em uma das partes tem-se gás ideal à pressão P e temperatura T. Admita que essa parte tenha 1/3 do volume do cilindro. Na outra parte fez-se o vácuo. As paredes do cilindro não permitem que o gás troque calor com o meio externo. A membrana é removida sem que haja troca de calor. Depois que o gás entra em equilíbrio, a pressão e temperatura são, respectivamente:

a) 3P e T/2

b) P/3 e T

c) P/ 3 e T/3

d) P e 3T

e) P e T

 

86) (FUVEST-SP) A figura mostra uma bomba de encher pneu de bicicleta. Quando o êmbolo está todo puxado, a uma distância de 30cm da base, a pressão dentro da bomba é igual à pressão atmosférica normal. A área da seção transversal do pistão da bomba é de 24cm2. Um ciclista quer encher ainda mais o pneu da bicicleta que tem volume de 2,4 litros e já está com uma pressão interna de 3atm. Ele empurra o êmbolo da bomba até o final de seu curso. Suponha que o volume do pneu permaneça constante, que o processo possa ser considerado isotérmico e que o volume do tubo que liga a bomba ao pneu seja desprezível. A pressão final do pneu será, então, de aproximadamente:

a) 1,0 atm

b) 3,0 atm

c) 3,3 atm

d) 3,9 atm

e) 4,0 atm

 

87) (MACKENZIE-SP)  Uma massa de certo gás ideal está confinada em um reservatório, cuja dilatação térmica é desprezível no intervalo de temperatura considerado. Esse reservatório possui na parte superior, um êmbolo que pode se deslocar livremente, conforme ilustra a figura. Observando-se o gráfico a seguir, destaca-se que, no estado A, o volume ocupado pelo gás é V e a sua pressão é P. Em seguida, esse gás passa por duas transformações sucessivas e “chega” ao estado C, com temperatura e pressão, respectivamente iguais a:

 

a) 450 K e 3P/2

b) 450 K e 4P/3

c) 600 K e 3P/2

d) 600 K e 4P/3

e) 600 K e 5P/3

 

88) (FGV-SP) Para garantir a dosagem precisa, um medicamento pediátrico é acompanhado de uma seringa. Depois de destampado o frasco de vidro que contém o remédio, a seringa é nele encaixada com seu êmbolo completamente recolhido. Em seguida, o frasco é posicionado de cabeça para baixo e o remédio é então sugado para o interior da seringa, enquanto o êmbolo é puxado para baixo. Como consequência da retirada do líquido, o ar que já se encontrava dentro do frasco, expande-se isotermicamente, preenchendo o volume antes ocupado pelo remédio.

 

Ao retirar-se uma dose de 40 mL de líquido do frasco, que continha um volume ocupado pelo ar de 100 mL, o êmbolo encontra certa resistência, devido ao fato de a pressão no interior do frasco ter se tornado, aproximadamente, em Pa,

Dados: Pressão atmosférica = 1,0×105 Pa  —  Suponha que o ar dentro do frasco se comporte como um gás ideal  —  Considere desprezível o atrito entre o êmbolo e a parede interna da seringa.

a) 57 000.

b) 68 000.

c) 71 000.

d) 83 000.

e) 94 000.

 

89) (UNESP-SP) Os desodorantes do tipo aerossol contêm em sua formulação solventes e propelentes inflamáveis. Por essa razão, as embalagens utilizadas para a comercialização do produto fornecem no rótulo algumas instruções, tais como:

  • Não expor a embalagem ao sol.
  • Não usar próximo a chamas.
  • Não descartar em incinerador.

Uma lata desse tipo de desodorante foi lançada em um incinerador a 25 ºC e 1 atm. Quando a temperatura do sistema

atingiu 621 ºC, a lata explodiu. Considere que não houve deformação durante o aquecimento. No momento da explosão a pressão no interior da lata era

a) 1,0 atm.

b) 2,5 atm.

c) 3,0 atm.

d) 24,8 atm.

e) 30,0 atm.

GABARITO: 01D –  02B – 03C – 04C – 05D – 06B – 07B – 08B – 09E – 10C – 11D – 12A – 13E – 14B – 15B -16A – 17D – 18A – 19C – 20A – 21D – 22B – 23C – 24A – 25A – 26B – 27D – 28B – 29E – 30A – 31A – 32E – 33D – 34B – 35E – 36B – 37A – 38A – 39C – 40C – 42B – 42C – 43C – 44B – 45C – 46C – 47A – 48A – 49E – 50C - 51C – 42B – 53 D– 54D – 55D – 56D – 57E – 58C – 59A – 60E – 61A – 62E – 63B – 64B – 65B – 66D – 67B – 68E – 69A – 70C – 71C – 72D – 73B  - 74A - 75B - 76D - 77D -  78C -79D - 80C - 81A - 82A - 83D - 84C - 85B - 86C - 87D - 88D - 89C- 90C.