VOCÊ SABIA?

VOCÊ SABIA?

Professor Diminoi

ATUALIDADES & CURIOSIDADES

 [A] - CURIOSIDADE DE FÍSICA

https://brasilescola.uol.com.br/fisica/curiosidades-fisica.htm

[B] - CURIOSIDADE DE FÍSICA

https://www.sofisica.com.br/curiosidades.php

Esta tira de quadrinhos previu o celular com 60 anos de natecedência.

O celular teria sido inventado em 1973 por John F. Mitchell e Martin Cooper, da Motorola, tornando-se um produto comercialmente viável em meados dos anos 90. Mas essa tira redescoberta pelo site "The Nib" teria antecipado a revolucionária invenção em sies década.

Intitulada "The Pocket Telephone: When Will It Ring?" (O telefone de bolso: quando vai tocar?), do cartunista William Kerridge Haselden --que assina W.K. Haselden--, a tira foi publicada pelo jornal britânico "Daily Mirror" em 5 de março de 1910. O site obteve a tira com a ajuda  

do British Cartoon Archive, que por sua vez fica hospedado online no site da Universidade de Kent.

A tira é interessante porque prevê com exatidão o comportamento meio patológico provocado pelo celular, com as pessoas te surpreendendo com ligações em situações bastante inconvenientes: quando está atrasado, com as mãos ocupadas, cuidando de bebês e até quando esta casando.

O que a tira não conseguiu prever é que o celular convencional, que só fazia ligações telefônicas e trocava mensagens de texto, evoluiu para o smartphone com múltiplas funções, e muitos de nós passaram até a gostar da onipresença dele. Tem até quem tire selfies no casamento, por que não?

 

 Fonte:

https://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/03/28/esta-tira-de-quadrinhos-previu-o-celular-com-60-anos-de-antecedencia.htm

Acessado em 29/03/2018 ás 18:37

 

Primeira ligação feita com um celular completa 45 anos; relembre a história

Por Ramon De Souza | 03 de Abril de 2018 às 15h25

Hoje em dia, viver sem um telefone celular é algo praticamente inimaginável — esses pequenos dispositivos móveis são essenciais para nos comunicarmos tanto com familiares e amigos quanto com pessoas relacionadas à nossa rotina profissional. Porém, as coisas eram diferentes na década de 1960. Nessa época, quem quisesse ter a liberdade de realizar chamadas telefônicas enquanto estivesse na rua precisava investir em um telefone de carro, que nada mais era do que um equipamento gigantesco que só funcionava com o motor ligado.

A primeira ligação efetuada através de um telefone verdadeiramente portátil só ocorreu a 45 anos atrás, no dia 3 de abril de 1973. Martin Cooper, um engenheiro que trabalhava na Motorola, resolveu demonstrar à imprensa norte-americana um protótipo do DynaTAC 8000X, primeiro celular comercial do mundo. Cooper tinha um ótimo senso de humor, então ele discou para a (até então) concorrente AT&T, que também estava tentando desenvolver uma tecnologia similar, só para tirar um sarro com o chefe do departamento.

Apesar da importância histórica desse episódio, é importante lembrar que os celulares só começaram a ser vendidos 10 anos depois, e demorou ainda mais para que tais gadgets atingissem o status que eles têm hoje em dia. A trajetória de tal tecnologia é um tanto curiosa e divertida — e, pensando nisso, resolvemos celebrar a data relembrando os principais acontecimentos que contribuíram para a popularização desse produto que é tão importante em nossas vidas.

Tudo começou dentro dos carros

A ideia de criar uma rede de telecomunicações baseada em radiofrequência é antiga — na década de 1940, a Bell Labs (empresa afiliada com a AT&T, que hoje é uma das maiores operadoras dos EUA) já discutia o assunto com os órgãos regulatórios estadunidenses. Ao longo dos anos 1950 e 1960, a empresa conduziu seus próprios experimentos em paralelo com a Motorola, gerando uma verdadeira corrida para ver quem lançaria o primeiro celular.

Na época, a Motorola era líder no segmento de car phones — telefones que eram instalados em automóveis e trabalhavam com canais de comunicação limitados. Aliás, o próprio nome da companhia vem do título de seu primeiro car phone, que foi chamado de “motor” (referindo-se ao motor automotivo) e “ola”, um sufixo bastante comum naqueles tempos (basta se lembrar da vitrola ou victrola, patente da Victor Talking Machine Company).

Em 1970, a Motorola elegeu Martin Cooper como o responsável pelo time que desenvolveria o primeiro celular da companhia. Desapontado com a falta de flexibilidade dos car phones, Cooper afirmava que celulares deveriam ser “um telefone pessoal — algo que poderia representar um indivíduo para que você pudesse atribuir um número; não a um lugar, não a uma mesa, não a uma casa, mas uma pessoa”.

Posteriormente, o engenheiro revelou que uma de suas principais inspirações foi o rádio-relógio usado pelo detetive Dick Tracy na história em quadrinhos homônima. Com um belo investimento por parte da diretoria da Motorola, Cooper montou um time de sucesso e conseguiu produzir um protótipo funcional em menos de 90 dias. Agora só faltava avisar ao mundo.

Um momento revolucionário

No dia 3 de abril de 1973, a caminho de uma coletiva de imprensa em Manhatan, Cooper decidiu demonstrar publicamente o funcionamento de seu protótipo. Em vez de realizar a demonstração a portas fechadas, o engenheiro quis que os pedestres também pudessem conhecer a novidade tecnológica — logo, sacou uma edição prévia do DynaTAC 8000x no meio da rua e discou para o Dr. Joel S. Engel, da AT&T.

“Joel, é o Marty. Eu estou ligando para você de um celular, um celular real e portátil”, disse Cooper. A ligação só foi possível por causa de uma base de rádio que havia sido instalada pela Motorola no topo do prédio Burlington House (que hoje abriga o Alliance Bernstein Building). Cercado pela mídia, o inventor ainda realizou uma segunda ligação com um repórter do The New York Times enquanto atravessava a rua — ato que, posteriormente, foi descrito pelo próprio como “uma das coisas mais perigosas que já fiz na vida”.

Apesar do hype criado por jornais e revistas, o DynaTAC 8000x só foi lançado comercial dez anos depois. Nesse meio tempo, a Motorola “encheu o saco” da Comissão Federal de Comunicações dos EUA (Federal Communications Commission ou FCC) para criar uma estrutura de antenas que pudesse garantir o bom funcionamento da tal “rede celular”. O órgão aprovou o aparelho em setembro de 1983.

O famoso "tijolão"

O DynaTAC (DYNamic Adaptive Total Area Coverage ou Cobertura Total de Área Dinâmica Adaptiva) 8000x era bem diferente do que estamos acostumados nos dias de hoje. Primeiramente, ele era enorme, tendo dimensões de 33 cm x 4,4 cm x 8,9 cm. Além disso, o produto pesava 793 gramas — para fins comparativos, um iPhone X pesa apenas 174 gramas. Ainda que o gadget fosse portátil, você dificilmente conseguiria carregá-lo no bolso.

Outro limitador era a bateria, que durava apenas 30 minutos de conversação e demorava 10 horas para ser recarregada por completo. Sendo inicialmente focado ao público corporativo, o 8000x foi lançado pelo preço sugerido de US$ 3.995 (o que equivale a aproximadamente R$ 13 mil na cotação atual da moeda). Em comparação, um bom car phone custava na época em média US$ 2,5 mil (cerca de R$ 8 mil).

 

ASSISTA AO VÍDEO

https://youtu.be/0WUF3yjgGf4

Além do teclado numérico, o usuário tinha nove teclas especiais à sua disposição, incluindo a Rcl (Recall) para rediscar o último número chamado e a Sto (Store) para guardar um contato na agenda, que tinha memória para armazenar 30 entradas. As informações eram exibidas em um display LED de cor vermelha — algumas edições especiais do DynaTAC (como a International Series e a 6000XL) exibiam caracteres nas cores azul e verde.

Apesar do preço proibitivo, o DynaTAC foi um sucesso, e, depois do lançamento de diversas versões com poucas mudanças estruturais, o gadget foi substituído por completo pelo MicroTAC, que foi apresentado em 1989 e era bem mais compacto. Enfim, a humanidade tinha um telefone celular que podia ser guardado no bolso.

E surgem as redes móveis

Embora o primeiro celular do mundo tenha sido norte-americano, a primeira rede móvel comercial (1G) foi inaugurada no Japão. A Nippon Telegraph and Telephone (NTT) foi a precursora de tal modelo de negócios, oferecendo planos antes mesmo que tais dispositivos se tornassem populares. Em seguida, em 1981, a Nordic Mobile Telephone (NMT) também estreou sua rede na Finlândia, Noruega, Dinamarca e Suécia.

A rede 2G, primeira a usar tecnologia digital (e não analógica como a 1G), nasceu em 1991 pelas mãos da finlandesa Radiolinja, no padrão GSM. O Japão retomou os holofotes em 2001, quando a NTT DoCoMo apresentou o 3G com o padrão WCDMA. Foi só aí que os celulares ganharam a ampla capacidade de acessar a internet, abrindo as portas para o nascimento dos smartphones modernos.

 FONTE: https://canaltech.com.br/inovacao/primeira-ligacao-feita-com-um-celular-completa-45-anos-relembre-a-historia-111152/

 

Trip Optimizer

Fonte: http://portallubes.com.br/2017/06/trip-optimizer/

Curiosidades de Física - A diferença entre raio, relâmpago e trovão

Acesse o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=OMlRsiynxRo

Maior meteorito encontrado no Brasil

Com 5,36 toneladas e mais de dois metros de comprimento, corpo celeste foi localizado no ano de 1784, no sertão da Bahia, onde atualmente fica o município de Uauá

 

18/02/2013 8537 AcessosLink: 

http://Venha.Me/yWVa

Maior meteoro encontrado no Brasil

Meteorito Bendegó está exposto no Museu Nacional do Rio de Janeiro - Imagem: divulgação

O Maior meteorito já encontrado no país, que entra para o RankBrasil em 2013, recebeu o nome de Bendegó e tem medidas impressionantes: 5,36 toneladas e mais de dois metros de comprimento.

A pedra foi localizada em 1784, pelo menino Domingos da Motta Botelho, que pastoreava o gado em uma fazenda próxima à cidade de Monte Santo, no sertão da Bahia – onde hoje fica o município de Uauá. Quando o governador baiano soube da notícia, ordenou que o meteorito fosse levado até Salvador.

    

Como os bois não conseguiram carregar tanto peso, o corpo celeste despencou e caiu no leito seco do Riacho Bendegó (a 180 metros do local original), ficando mais de um século abandonado, até que pesquisadores franceses identificaram a importância científica da descoberta.

A camada de oxidação e a parte perdida da porção inferior do meteorito indicaram que ele havia caído há milhares de anos. Feita de ferro, níquel e outros elementos químicos, desde 1888 a pedra se encontra no Museu Nacional, graças ao então imperador D. Pedro II, que providenciou sua remoção para o Rio de Janeiro.

Réplicas em tamanho real

Há quatro réplicas da pedra recordista, em tamanho real. A primeira, em madeira, está no Palácio da Descoberta, em Paris, na França. A segunda, de gesso, fica no Museu do Sertão, próximo ao lugar onde o meteorito foi encontrado. Há ainda uma no Museu Geológico da Bahia, em Salvador, e outra no Museu Antares de Ciência e Tecnologia, em Feira de Santana, também na Bahia.

 

Maior meteoro do mundo

Mateorito Hoba é o maior meteorito encontrado na Terra (em um único fragmento) e também o maior objeto de ferro maciço de ocorrência natural conhecido pelo homem. Com mais de 60 toneladas e 2,7 metros de comprimento, foi descoberto em 1920, na Namíbia, país da África. Estima-se que o corpo celeste caiu há 80 mil anos e por seu enorme tamanho, até hoje permanece no local de origem de sua queda.

Casos recentes

Em 15 de fevereiro de 2013, coincidentemente, dois corpos celestes chamaram a atenção. Na Rússia, uma rocha de 12 metros e cerca de 10 toneladas se desintegrou em pequenas partes entre 30 e 50 quilômetros da superfície terrestre, atingindo o país. Apesar de muitos feridos, ninguém ficou em estado grave porque a pedra se dividiu em minúsculas partes.

No mesmo dia, mas sem relação, um asteroide passou pela Terra, o que havia sido previsto por cientistas. Batizado como DA14-2012, pesa 130 mil toneladas e tem 45 metros de diâmetro, o equivalente a quase metade de um campo de futebol. O corpo celeste passou a menos de 30 mil quilômetros do planeta, distância considerada pequena.

Extinção dos dinossauros

Embora não haja consenso, a hipótese mais aceita pelos cientistas atualmente é que, há cerca de 65 milhões de anos, a extinção dos dinossauros foi causada pela queda de um gigantesco asteroide (embora isto dificilmente aconteça), onde hoje é o México.

De acordo com estudos, a pedra tinha 10 quilômetros de diâmetro e teria caído sobre a superfície da Terra após um choque com outro corpo celeste, provocando a extinção da maioria das espécies que habitavam o planeta naquele período.

Diferenças entre corpos celestes

- Meteoro: corpo sólido de ferro ou rocha, que entra na atmosfera produzindo luminosidade. Não é o nome do corpo em si, mas do rasto luminoso que deixa no céu, devido à combustão causada pelo atrito com o ar.

- Meteorito: é o nome dado quando o meteoro atinge a superfície terrestre (na água ou em terra firme). Geralmente possuem massa maior, por isso não se desintegram totalmente antes de chegar à Terra. Diariamente caem no planeta toneladas de meteoritos, mas em geral, são corpos pequenos, que cabem na palma da mão e não oferecem perigo.

- Meteoroide: corpo sólido de ferro ou rocha de pequeno porte, que se movimenta em torno do Sol, mas não chega a atingir a órbita da Terra.

- Asteroide: corpo sólido de ferro ou rocha que possui massa e tamanho bem maiores que dos meteoritos, mas menores que os dos planetas. Possuem órbita definida em torno do Sol e não costumam atingir a Terra.

- Cometa: corpos celestes de tamanho pequeno, que realizam deslocamentos irregulares em torno do Sol. Basicamente, são formados por gelo e rocha e vistos como uma estrela de cauda.

Fonte: http://www.rankbrasil.com.br/Recordes/Materias/0WVa/Maior_Meteorito_Encontrado_No_Brasil

 

Termômetro Celsius

Quando Anders Celsius (1701 – 1744) criou a escala de Celsius, inventou de forma contrária que, o 0°C seria o ponto de ebulição da água e 100°C seria o ponto de congelamento. Isso foi revertido no ano de sua morte por Carolus Linnaeus.

 

As 5 descobertas científicas mais interessantes dos últimos anos

 

A ciência já deu grandes passos, mas muitas dúvidas ainda existem (Fonte da imagem: Reprodução/Thinkstock)

Há pouco tempo, uma notícia causou grande furor no mundo científico. Aparentemente, os pesquisadores do CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear) conseguiram “encontrar” o chamado Bóson de Higgs — ou a “partícula de Deus”, que seria a origem de toda matéria existente no universo. O anúncio de tal descoberta esteve entre as principais notícias do mês, gerando polêmica e grande interesse de várias pessoas de diferentes países.

Além do Bóson de Higgs, outras pesquisas científicas também ganharam notoriedade e admiração por apresentarem resultados surpreendentes. Entre elas está a possível descoberta de água líquida em Marte pela NASA, assim como a provável detecção da matéria escura — que é responsável pela gravidade que mantém as galáxias unidas, sendo um dos grandes mistérios da Física.

Mas quais seriam as outras descobertas recentes que, apesar de não terem recebido um grande espaço na mídia, são igualmente importantes? O Tecmundo listou algumas das pesquisas mais interessantes dos últimos tempos que, além de responderem a diversas questões formidáveis, também podem mudar a ciência como a conhecemos.

1 – O DNA dos neandertais sobrevive em nossos genes

Um estudo genético apresentado há dois anos comprovou que nossos ancestrais Homo sapiens cruzaram com neandertais e que, por isso, estes últimos sobrevivem até hoje no DNA dos humanos. Os testes ainda apontaram que a maioria das pessoas que não são de ascendência africana (como europeus e asiáticos) possuem até 4% de DNA vindo de uma origem neandertal.

 

 Os neandertais continuam entre nós. (Fonte da imagem: Reprodução/Wired)

Além disso, o estudo apresentou que não seriam apenas os neandertais a viverem em nós — também foram descobertos resquícios genéticos dos denisovans, os “primos” dos neandertais. Tal descoberta também foi importante por nos mostrar que o Homo sapiens não seria o produto de uma linhagem pura e longa, mas uma mistura hominídea.

2 – Desvendando a “matéria escura” do nosso corpo

O RNA era visto como uma “matéria escura” do DNA, pois a complexidade de seu papel como “mensageiro” em levar, na forma de genes, as instruções necessárias para a produção de proteínas ainda era um mistério para a ciência.

No entanto, aparentemente, uma “luz” caiu sobre essa questão — já que os cientistas acreditam terem compreendido melhor o papel do RNA como uma peça com grande influência na forma que os genomas operam em nosso organismo.

 

Ilustração mostra a diferença estrutural entre o RNA e o DNA (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Além disso, eles também perceberam que o “DNA lixo” (pedaços que eram classificados como pouco úteis e que são encontrados entre os genes “transportados” pelo RNA) passou a fazer um papel importante na regulação dos genes — especialmente por alguns acreditarem que a verdade sobre o funcionamento desse processo encontra-se exatamente nessas peças.

3 – Desafiando as leis de Newton

Materiais com bizarras propriedades ópticas e que possuem características que não são encontradas em elementos da natureza. Ou, em outras palavras, os chamados metamateriais — tecnologia utilizada por físicos e engenheiros para a manipulação e orientação da luz, criando lentes que superam os limites de outras lentes comuns.

 

 Ilustração mostra a luz passando diretamente pelos materiais, efeito causado pelos metamateriais (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Com os metamateriais, os cientistas pretendem utilizar as propriedades ópticas não convencionais (que desafiam também as leis da física) para criar objetos incríveis — como "capas de invisibilidade" a partir de efeitos de camuflagem.

4 – Células “reprogramadas” poderão criar tecidos e órgãos

Um dos grandes avanços na área da saúde está na “reprogramação” de células adultas. Com esta conquista, os cientistas conseguiram transformar células de pele ou sangue nas chamadas “células pluripotentes” — que possuem o potencial de se tornar qualquer tipo de célula existente no organismo.

 

Células sanguíneas podem ser reprogramadas para atuarem em outras partes do corpo (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Tal descoberta é um grande passo para o tratamento de doenças raras, pois os cientistas já estão utilizando a técnica na produção de linhas de células voltadas a determinados pacientes. Além disso, outros genes são capazes de transformar as células da pele em neurônios ou até mesmo em células de sangue. Outro grande objetivo deste tipo de técnica está em poder auxiliar transplantes, criando e substituindo tecidos, células e órgãos.

5 – 9 a cada 10 células do nosso corpo são de micróbios

Há alguns anos, os cientistas vêm aprofundando as análises quanto à interação entre os micróbios e os nossos corpos. Aparentemente, criou-se a teoria de que eles, por fim, fazem realmente parte de nós — já que nove a cada dez células que possuímos são células microbianas. E isso não é algo ruim, acredite.

 

 Nosso organismo hospeda muitos micróbios (Fonte da imagem: Reprodução/Estadão)

Pelo que foi estudado até o momento, apenas poucos micróbios realmente nos deixam doentes, já que a maioria utiliza nosso corpo como “casa” e poderia ser classificada como “bons inquilinos”. Somente no nosso intestino, existem cerca de mil espécies de micróbios que trazem ao nosso corpo cem vezes mais genes que o nosso próprio DNA carrega.

Fonte: https://www.tecmundo.com.br/ciencia/27596-as-5-descobertas-cientificas-mais-interessantes-dos-ultimos-anos.htm

 

Porque o forno de micro-ondas não aquece alguns objetos e porque não se devem colocar objetos metálicos nele?

O forno de micro-ondas, presente na maioria das residências, emite micro-ondas com frequência na casa de 2,5 gigahertz. A característica interessante desta faixa de frequência é que a radiação excita, de forma considerável, as moléculas assimétricas, como a da água, óleos e açúcares. Desta forma, quando o eletrodoméstico é utilizado para aquecer os alimentos, apenas estas moléculas aumentam sua energia interna, provocando um aumento de temperatura.

O material dos pratos e potes é, em sua maior parte, formado por moléculas de estrutura extremamente simétrica, por isso o aquecimento deles é muito pequeno. Mas quando colocamos um alimento em um prato para ser aquecido, este prato não está quente ao ser retirado do forno de micro-ondas? A resposta é sim, ele está. No entanto, as micro-ondas não são o motivo deste aquecimento, e sim o contato direto do prato com os alimentos aquecidos.

E por que não devemos colocar objetos metálicos no forno de micro-ondas?

Por dois motivos principais: primeiramente, porque superfícies de metal refletem as micro-ondas, causando uma espécie de blindagem que impede que as ondas atinjam as moléculas líquidas. A outra razão é que o campo elétrico presente no interior do forno provoca o surgimento de correntes elétricas nos metais, os quais acabam sendo carregados e aquecendo rapidamente. Assim, se houver algo como um pedaço de papel ou qualquer outra coisa que possa pegar fogo dentro do micro-ondas, pode ser ocasionado um incêndio.

Fonte: http://www.sofisica.com.br/conteudos/curiosidades/microondas.php

 

FORMA DE ALUMÍNIO PODE IR NO MICRO-ONDAS?

Você já deve ter ouvido falar que utensílios de alumínio ou de outros metais não podem ser colocados no forno micro-ondas, não é? Mas afinal, uma forma de alumínio pode ir no micro-ondas?

 

Com a evolução da tecnologia dos fornos micro-ondas, a ideia de que não se pode utilizar um produto em conjunto com o outro caiu por terra. Desta forma, é possível afirmar que as formas de alumínio podem sim ser utilizadas dentro deste tipo de forno. Desde que isso seja feito da maneira correta.

Por este motivo, separamos algumas dicas de boa utilização das embalagens de alumínio que te ajudarão a desmistificar essa lenda.

Atente-se ao tamanho da embalagem

 

Utilize apenas embalagens com até 3,5cm de profundidade. Embalagens mais profundas devem ser colocadas em um recipiente de vidro ou refratário com água para completar o aquecimento em banho-maria.

Preencha mais da metade da forma

 

É preciso que o alimento cubra pelo menos, metade do interior da forma. Aquecer porções menores do que a embalagem, deixando partes vazias, pode representar riscos ao cozinheiro.

Desta maneira, procure sempre ocupar grande parte do conteúdo das embalagens, a fim de garantir que o aquecimento seja uniforme.

Centralize a forma no forno

 

A fim de manter a forma o mais afastado possível das laterais do equipamento, é necessário centralizá-la sobre o prato do micro-ondas, para que não provoque faiscamento. A distância mínima recomendada é de 3 cm em todos os lados.

Para isso, verifique também se o micro-ondas está nivelado para que a embalagem não escorregue com o movimento do prato giratório.

Retire a tampa protetora

 

Antes de levar a embalagem ao forno, é imprescindível que a tampa protetora da forma seja removida, para que as micro-ondas possam atuar no alimento.

Para manter o vapor e também para que os respingos não sujem o interior do aparelho, coloque em seu lugar uma cobertura de papel manteiga ou uma tampa especial para micro-ondas que dará uniformidade ao aquecimento.

Utilize uma forma de cada vez

 

Nunca utilize ao mesmo tempo duas embalagens de alumínio no forno micro-ondas. Assim como no caso das partes vazias, sem alimento, e da proximidade da forma com as laterais do forno, quando duas embalagens descartáveis de alumínio são colocadas ao mesmo tempo sobre o prato giratório, há grandes riscos de ocorrer faiscamento, o que pode dar início a um incêndio na cozinha.

O mesmo ocorre quando a embalagem descartável de alumínio é colocada sobre uma grelha metálica.

Viu só como uma forma de alumínio pode ir no micro-ondas? Com estas instruções, basta ajustar o tempo e colocar o alimento para assar, sem perigo algum. E isto serve tanto para alimentos crus como para alimentos congelados.

As formas de alumínio resistem a todo o tipo de mudanças extremas de temperatura. Sendo assim, você pode utilizá-las para cozinhar, congelar, aquecer e ainda deixar o alimento na própria embalagem para ir à mesa. E no site da Embrast é possível encontrar as formas perfeitas, para diversas finalidades.

Fonte: http://www.embrast.com.br/blog/forma-de-aluminio-pode-ir-no-micro-ondas/

 

Evidências mostram que campo magnético da Terra já se inverteu em período curto

https://www.msn.com/pt-br/noticias/ciencia-e-tecnologia/evid%C3%AAncias-mostram-que-campo-magn%C3%A9tico-da-terra-j%C3%A1-se-inverteu-em-per%C3%ADodo-curto/ar-BBMqBAL?li=AAggNbi&ocid=

 

Vídeo hipnotizante mostra de onde vem o campo magnético da Terra

https://gizmodo.uol.com.br/video-hipnotizante-campo-magnetico-terra/

 

Cachorros e alguns primatas podem ver campos magnéticos, sugere estudo

https://gizmodo.uol.com.br/mamiferos-campos-magneticos/

 

Asteroide gigante vai passar 'de raspão' na Terra nesta quarta-feira

41 Do UOL, em São Paulo 28/08/201804h00...

https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2018/08/28/asteroide-de-mais-de-150-metros-vai-passar-proximo-a-terra-nesta-semana.htm

 Por que a estrela mais brilhante da galáxia é invisível a olho nu - e como se tornará aparente...

https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/bbc/2019/01/10/por-que-a-estrela-mais-brilhante-da-galaxia-e-invisivel-a-olho-nu---e-como-se-tornara-aparente.htm

 

Continua...